MORTE ROSA

Paulo Aguiar
Em 08/10/86

A morte,
De quando em quando
A acham bonita...
A minha morte
Faço um singelo apelo,
Não se aposse de mim
Antes que eu tenha conseguido
Me apaixonar pela vida

Trago no coração
Um grande espaço
Que talvez por questão de tempo
Vem me causando embaraço

Vou brincando com a vida
Faço coisas perigosas
Só sonhando que a morte
Possa me trazer aos olhos
Um jardim com muitas rosas

Vire a página.