VAGA-LUME

Paulo Aguiar
05/05/95

Os ventos mudam
Tem que mudar
As chuvas caem
Pra nos mostrar
E o destino vai sorrindo
Bom pescador tem que ir ao mar
E um grande amor vem com o vento
No seu tormento devagar
A planta cresce no meu jardim
Nada apetece tão forte assim
Nasceu um vaga-lume em mim
O amor acende a luz
Que o tempo insistentemente apagou
Hoje sou diferente do que eu era
Quando tudo começou
A planta morre no meu jardim
Nada acontece sem ter um sim
Você é dona desse vaga-lume
Que não sai de mim
O amor acende a sua luz
E o tempo não consegue mesmo apagar
O vaga-lume brilha
Enquanto ele quiser brilhar
E no meu jardim tão soturno
Sou um louco a perguntar
Naufragarei no meu pranto
Que era tanto e virou mar
Ou me junto ao vaga-lume
Que não tem hora e nem lugar
O amor acende a sua luz
E o tempo não consegue apagar
O vaga-lume brilha
Enquanto ele quiser brilhar